Mitologia Nórdica — 28 de junho de 2015

Mitologia Nórdica

Thor_drawing
O Thor do Filme da Marvel dá uma explicação bem plausível sobre a divisão dos reinos/planetas para os nórdicos,como se as estrelas/constelações fossem os galhos da Yggdrasil,aliás, muitas religiões usavam e ainda usam metáforas para explicar quase tudo.

A mitologia nórdica ou escandinava (ou viking) é o conjunto de lendas/histórias e crenças dos povos que habitaram a região da Península da Escandinávia há muito muito (muito muito muito) tempo.Mais precisamente pelos povos da germânia do norte,que hoje é a Alemanha.Transmitida de geração para geração principalmente na Era Viking através de poesias.chegou até nós por meio de textos medievais escritos durante e após o processo da cristianização nórdica. Outra importante fonte foi o conjunto de textos (Edas)Encontrados na Islândia,que apresentam histórias e personagens/seres mitológicos. Os deuses ligados a assuntos sociais habitavam Asgard, que era um tipo de cidade sagrada cercada por muros e deram aos homens habilidades e sentidos. Outros, chamados deuses Vanir, associados à natureza, moravam em Vanaheim. Yggdrasil era uma árvore colossal que ficava no centro do universo,contava-se que seus frutos continham as respostas para perguntas fundamentais da humanidade,era o que ligava os nove reinos Midgard era a Terra.

Jotumheim – Reino dos Gigantes da Montanha, por se localizar numa montanha, é morada de outros seres, como trolls.

Muspelheim – Reino do Fogo, lar dos gigantes de fogo.

Niflheim – Reino de Gelo, onde residem os gigantes de Gelo. (hurrr durrr)

Álflheim – Reino dos Elfos de luz.

Svartalfheim – Reino dos Elfos escuros.

Principais seres da mitologia nórdica:

Deuses e deusas: deidades superiores.

Valquírias: deidades menores, servas de Odin.

Heróis: criaturas que realizavam grandes feitos, pois possuíam poderes especiais.Como Beowulf, guerreiro que venceu o dragão e o grande monstro Grendel, ou Siegfried,personagem épico na saga dos Volsungos.Volsung, que era um rei e Erik, o vermelho ,considerado o descobridor da Groelândia.

As Valquírias: Brünhild, Gunnr e Skuld.

Anões: possuíam inteligência superior e muitos tinham a capacidade de prever o futuro.

Jotuns: gigantes com poderes especiais que quase sempre aparecem em oposição aos deuses.

Bestas: seres sobrenaturais como, por exemplo, Fenrir (lobo gigante) e Jörmundgander (serpente marinha gigante).

Nornas: deusas que tinham funções específicas relacionadas ao controle do presente, passado, futuro, sorte, azar e providência.

Elfos: viviam nas florestas, fontes e bosques. Eram imortais, sempre jovens e tinham poderes mágicos.

Os principais deuses da mitologia nórdica:

Odin: deus, rei de todos os deuses.

Thor: deus dos raios e dos trovões. Filho mais velho de Odin.

Balder: deus da justiça e da sabedoria.

Loki: deus do fogo

Frigga: deusa da fertilidade e do amor.

Bragi: deus da sabedoria e da poesia.

Dag: deus do dia.

Njord: deus dos ventos e da fertilidade.

O planeta dos alienígenas  Senhores do Tempo,da série de tv “Doctor Who” tem em parte o nome do deus nórdico do tempo. bbc esperta

Frey: deus da fertilidade e do tempo.

Ran: deus dos mares.

Gerda: deusa das almas perdidas.

Freia: deusa do sexo, do amor, da beleza e da fertilidade.


Os Nórdicos não acreditavam em nenhuma verdade transmitida pelas divindades aos mortais; Para eles o mundo era um disco plano. Há quem diga que foram os primeiros europeus a por os pés na América do Norte.

Hoje, a mitologia fica como uma inspiração na literatura,no teatro e também música e no cinema,Thor, por exemplo,agora é um super-herói, a Autora J.K Rowling teve em parte influência da mitologia Nórdica para escrever Harry Potter.

Barry x Harry — 14 de junho de 2015

Barry x Harry

  
 Morte Súbita de JK Rowling é segundo ela mesma uma grande história sobre uma cidade pequena.
                                                                                     
  Tudo acontece  nmorte-subita-amora-literaria-mosaicoa pequena cidade de Pagford e o gatilho para a bala que se chama trama é a morte do conselheiro Barry Fairbrother.
  É engraçado ler um livro de JK que não seja sobre o menino que sobreviveu e suas aventuras mágicas,tudo se passa no (digamos) mundo real,o que não impede de ser a mesma coisa com Harry.
 “É claro que está acontecendo dentro da sua cabeça, mas porque isso significaria que não é real?” – Alvo Dumbledore

  Mesmo o conselheiro sendo o personagem principal e a ideia sendo tudo girar em volta do cara morto, há muita informação sobre muita gente de sua cidadezinha e muitos capítulos a partir do ponto de vista de várias pessoas sobre vários assuntos diferentes, por exemplo os adolescentes (resenhas espalhadas por aí na internet mostram que muitos leitores gostaram pra caramba do núcleo jovem,*10 Pontos para Hufflepuff) Por exemplo, a menina bonita que parece ter uma vida perfeita tem os pais divorciados e não se dá bem com o novo namorado da mãe, e este só percebe que Barry era o seu melhor amigo após receber a notícia de sua morte. podem chorar agr

Se você é Potterhead, não espere nada no mesmo estilo de Harry Potter, Rowling surpreende ao mostrar que não escreve apenas sobre lordes das trevas que deixam crianças bruxas órfãs,magia, bruxaria e afins.

*Fontes dizem que JK é da Hufflepuff 

*Hufflepuff = Lufa-Lufa